Página Revista Monet

Revista Monet

Um superguia diário da programação, acesso a conteúdos exclusivos e muito mais.

imagem ilustrativa - revista monet
O que esperar da edição de Maio da Monet
 
Fazer sucesso no cinema não é fácil. Conseguir um papel na televisão também exige muito esforço entre os milhares de episódios pilotos que nunca vão ao ar. Pois há um ator que conseguiu superar todas as expectativas nessas duas plataformas. Mahershala Ali - negro, muçulmano e com mais de 40 anos - nadou contra a correnteza e se tornou um dos principais nomes da TV e do cinema. Ao mesmo tempo (sua performance em 'True Detective' é a prova disso). Por isso, ele é a nossa capa deste mês de maio, em que 'Green Book: O Guia' chega às telinhas, para mostrar que é possível fazer sucesso em Hollywood. Basta ter talento. Além dele, trazemos outros atores e atrizes que também tem abraçado o mundo do entretenimento em todas as suas vertentes. Vai perder?
 
E tem mais: o especial Vilãs que Amamos, do canal Viva; Riverdale encerra a sua terceira temporada tentando lidar com a morte de Luke Perry; o fenômeno Sai da Baixo vira filme, que estreia no NOW; os 40 anos da franquia Alien; Ursinho Pooh volta com o seu amigo Christopher Robin agora adulto; as histórias de Chacrinha, um dos maiores comunicadores da TV brasileira; DC Super Hero Girls mostra que heroínas merecem mais protagonismo na animação; O dublador Wendel Bezerra fala sobre como é ser a voz de Goku e sobre o sucesso do vigésimo filme da franquia Dragon Ball; a 30ª Temporada de Os Simpsons; Os grandes momentos dos brasileiros no torneio do Roland Garros, nas 500 Milhas de Indianápolis e do GP de Mônaco; e os segredos do hóquei no gelo.
R$10,45/mês

O que vem por ai

imagem ilustrativa -BILLBOARD MUSIC AWARDS
BILLBOARD MUSIC AWARDS
Dia 1º, 21h, TNT Séries
 
Ao contrário do cinema, que tem o Oscar como Olimpo definitivo, a música tem muitos meios de consagração em forma de prêmios. O Grammy é o mais conhecido e o Video Music Awards, o mais descolado. Em algum lugar no meio dos dois, está o Billboard Music Awards, com a vantagem de ser uma espécie de tradução anual do que melhor performou nas paradas. E este ano as cantoras estão no comando: Cardi B lidera em número de indicações (21), mas enfrenta a concorrência forte de Ariana Grande (foto), que voltou com tudo em um disco novo.
 
imagem ilustrativa -  CHERNOBYL
CHERNOBYL
Dia 10, 21h, HBO
 
A minissérie conta a história de um dos momentos mais críticos do século 20 – o acidente nuclear de 1986. Jared Harris faz Valery Legasov, físico nuclear que logo compreende o tamanho do desastre. Stellan Skarsgård interpreta o vice-primeiro-ministro soviético Boris Shcherbina, que lidera a comissão do governo nas primeiras horas após o acidente. Emily Watson (foto) retrata Ulana Khomyuk, uma física nuclear que faz de tudo para descobrir os motivos por trás do desastre.
imagem ilustrativa -DRAGON BALL SUPER BROLY
DRAGON BALL SUPER: BROLY
Em maio no NOW
 
Dragon Ball é uma franquia que engloba mangás, games e animês - este último talvez seja a forma que fez com que Goku, Vegeta e cia. chegassem mais longe no mundo, com um total de 639 episódios lançados em todas as suas versões e temporadas. Dragon Ball Super: Broly é o 20º longa-metragem lançado em um intervalo de 32 anos, e estreia este mês no NOW. A nova aventura mostra a origem dos poderes dos saiyajins, como seu planeta foi destruído, a viagem de Goku para a Terra e o surgimento de um poderosíssimo vilão: Broly, que vai exigir o esforço e a união dos queridos personagens dos fãs caso queiram sair vitoriosos - e vivos - da batalha..
 
imagem ilustrativa   RIVERDALE - FINAL DE TEMPORADA
RIVERDALE - FINAL DE TEMPORADA
Dia 15, 21h40, Warner
 
Luke Perry, ator que interpretava Fred Andrews, o pai do protagonista Archie, da série Riverdale, hesitou em participar do elenco da produção que acabou se tornando um de seus principais trabalhos. O ator, falecido em março passado, não só se tornou o porto seguro do jovem elenco como também passou a exercer o papel de mentor junto a eles. A terceira temporada de Riverdale, que era uma de suas mais violentas e sombrias, acaba de forma emotiva e melancólica, com seus episódios restantes dedicados a Perry. Mas o show, assim como a vida, tem que continuar.

Mundo do cinema e TV

imagem ilustrativa TEMAS SERIOS DISCUTIDOS NA FRANQUIA ALIEN
OS ARANHAS DO ARANHAVERSO
Homem-Aranha no Aranhaverso, em abril no NOW
 
Por que um novo filme do Homem-Aranha? Essa é a pergunta que muita gente deve ter se feito no momento em que um longa de animação do personagem foi anunciado no já longínquo ano de 2015. Mesmo sem ser o mais poderoso dos heróis, o aracnídeo segue sendo chamado para cuidar dos fracos, oprimidos e das salas de cinemas vazias até hoje, quase 17 anos depois da estreia de seu primeiro longa cinematográfico.
 
Miles Morales > O jovem nova-iorquino, filho de um policial negro e de uma mãe latina traz uma história de fundo tão fascinante e rica quanto a de Peter Parker. Antes de ter sido picado por uma aranha geneticamente modificada, já lutava com o peso de representar sua comunidade como bolsista em uma escola particular.
 
Spider Gwen > Em sua realidade alternativa, a namoradinha de Peter Parker é picada por uma aranha radioativa e passa a combater o crime. Em suas horas de folga, toca em uma banda junto com Mary Jane.
 
Aranha Noir > Em plena época da Depressão, Peter Parker usa suas habilidades que incluem agilidade e força - adquiridas pela mordida de uma aranha importada ilegalmente para os EUA - para lutar contra o crime e os mafiosos de Nova York.
 
Peni Parker + SP//dr > Com uma estética dos animes e mangás japoneses, Peni é uma garota de 14 anos, criada pelo tio Ben e pela tia May, que opera um poderoso robô criado por seu falecido pai com a ajuda de uma aranha.
 
Porco-Aranha > Peter era uma simples aranha que morava no porão do laboratório de uma porquinha cientista que desenvolvia um secador de cabelos atômico. Em uma experiência desastrosa, a aranha é mordida pela porca e assume as identidades de Peter-Pork e do Porco-Aranha.
 
 
imagem ilustrativa -ATORES QUE TROCARAM A TV PELO CINEMA
ATORES QUE TROCARAM A TV PELO CINEMA E VICE-VERSA
Green Book: o Guia, em maio no NOW
 
Trabalhar na TV foi, por muito tempo, considerado o fim da linha para atores e atrizes de Hollywood. No entanto, grandes nomes do cinema começaram suas carreiras em séries que acabaram os alavancando para o estrelato. Mahershala Ali, que recentemente ganhou seu segundo Oscar de Melhor Ator Coadjuvante por Green Book: O Guia, mostra que há vida
(e muito prestígio) para quem surgiu na tela pequena e que não há problema em continuar trocando  as salas de cinema pelas de casa para participar de produções de qualidade. Veja abaixo alguns artistas que não restringiram as suas carreiras a um só meio:
 
CLAIRE DANES > Em 1995, aos 16 anos, ganhou um Globo de Ouro pela série Minha Vida de Cão, que mostrava o quão difícil é a fase da adolescência. Seu primeiro trabalho como protagonista nas telonas foi em Romeu + Julieta, sucesso de 1996; mas foi de volta à TV, como uma agente da CIA em Homeland, que ela levou mais dois Globos de Ouro de Melhor Atriz em Série de Drama.
 
GEORGE CLOONEY > Antes mesmo de ficar famoso com o Dr. Doug Ross em Plantão Médico (1994-2009, Clooney participou de outras séries como Vivendo e Aprendendo (1985-1987) e Roseanne (1988-1991), uma preparação para o Oscar de Melhor Ator por Syriana - A Indústria do Petróleo (2005).

ANTHONY HOPKINS > O galês trouxe o peso de sua atuação e seu Oscar de Melhor Ator por O Silêncio dos Inocentes (1991) para, em 2016, aos 78 anos, interpretar um dos principais personagens da série Westworld, seu principal trabalho televisivo.
 
REESE WITHERSPOON > Aos 23 anos, a atriz já surpreendia o público com o papel em Segundas Intenções (1999). Dois anos depois, estourou como uma patricinha na comédia Legalmente Loira (2001). Ganhou um Oscar por seu papel como June Carter no filme Johnny & June (2005) e agora decidiu migrar para a televisão para a aclamada série Big Little Lies.
 
 
imagem ilustrativa  HISTORIAS DO VELHO GUERREIRO
HISTÓRIAS DO VELHO GUERREIRO
Chacrinha: O Velho Guerreiro, dia 13, 22h, Telecine Premium
 
José Abelardo Barbosa de Medeiros não perdeu o hábito de ficar nervoso, mesmo depois de mais de 30 anos de carreira e passar por seis emissoras – TV Rio, Excelsior, Tupi, Record, Bandeirantes e Globo. O Velho Guerreiro, apelido dado por Gil na canção “Aquele Abraço”, revolucionou o jeito de fazer televisão no Brasil. Todos os sábados, antes de entrar no palco do Teatro Fênix para apresentar mais uma edição do seu Cassino do Chacrinha, Abelardo Barbosa tomava dois comprimidos de Imosec para não precisar ir ao banheiro durante o programa.Confira outras curiosidades do Velho Guerreiro:
 
Apelido > Um dos primeiros programas que Abelardo Barbosa comandou no Rio foi na Rádio Club Fluminense. Como a estação ficava numa chácara em Niterói, o programa foi batizado de Rei Momo na Chacrinha. De diminutivo de chácara, Chacrinha virou sinônimo de “baderna” e “confusão”.
 
De Clarinha para Terezinha > Nos tempos da Rádio Tamoio, Chacrinha foi contratado para fazer comercial para a marca de água sanitária Clarinha. Logo, criou um bordão para divulgar o produto: “Clariiiiiinha!”. Quando o fabricante foi à falência, ele substituiu “Clariiiiiiinha!” por “Tereziiiiiiiinha!”. 
 
Bacalhau para a plateia > Certa vez, Venâncio Veloso, dono de uma rede de supermercados, se queixou com Chacrinha de que o bacalhau que ele havia comprado para a Semana Santa estava encalhado. Dias depois, o apresentador apareceu no programa, perguntando à plateia: “Vocês querem bacalhau? Então, passem nas Casas da Banha e aproveitem a promoção!”. Em dois dias, Veloso vendeu todo o estoque.
 
Chacretes > No começo, elas se chamavam “tevezinhas”. Depois, foram batizadas de “As vitaminas do Chacrinha”. Por fim, ganharam o apelido de “chacretes”. Algumas das mais famosas são Rita de Cássia Coutinho, a Rita Cadillac; Glória Maria de Aguiar, a Índia Potira, e Vera Lúcia Guimarães Santos, a Vera Furacão. Chacrinha as proibia de namorar artistas. “Não quero que me chamem de cafetão!”, esbravejava.
 
imagem ilustrativa- PEQUENAS GRANDES HEROINAS
PEQUENAS GRANDES HEROÍNAS
DC Super Hero Girls, dia 23, 19h, Cartoon
 
O que acontece quando mulheres retratam super-heroínas fugindo de estereótipos de fragilidade feminina? O público em geral aceita (e ama) as personagens, outras mulheres se sentem inspiradas e, de quebra, as empresas por trás dos lançamentos ganham um bom dinheiro. Não há época melhor do que esta, de cineastas arrasando com Mulher-Maravilha e Capitã Marvel, para DC Super Heroes Girls chegar às telinhas e mostrar para as meninas que elas também podem salvar o mundo. A seguir, apresentamos algumas personagens superpoderosas de desenhos animados que também inspiram meninas de todo o mundo.
 
Ladybug > > Produzida por estúdios de diferentes nacionalidades, a série traz uma protagonista franco-chinesa cujos interesses associados à feminilidade não diminuem suas qualidades heróicas.
 
As Meninas Superpoderosas > Sucesso entre 1998 e 2005, Florzinha, Lindinha e Docinho ganharam um reboot em 2016. O visual ficou diferente, mas a mensagem superpoderosa permanece.
 
Star vs. as Forças do Mal > Protagonizada por uma princesa que combate vilões em todo universo, a animação da Disney também já lutou contra estereótipos ao trazer um personagem masculino que ama se maquiar.
 
Kim Possible > A heroína corajosa se transformou em uma das personagens mais queridas da Disney Channel até hoje. Não é à toa que ela ganhou seu próprio live-action no canal em março deste ano.

Ainda não é cliente NET?

Imagem ilustrativa - monte seu combo
O plano ideal é você quem faz.
Monte sua combinação com TV, Internet, Fixo e Celular.
 
Assine pelo site e aproveite descontos exclusivos.